Moontera
LG G Flex 2

Review ao LG G Flex 2, uma evolução que merece destaque!

A LG trouxe várias evoluções no LG G Flex 2 em relação à primeira geração do smartphone. Leia a nossa review para saber o que achamos do novo LG G Flex 2

Por Tiago Araújo a 03/Jul/2015

No mundo dos smartphones, a LG viveu muito tempo na sombra da Samsung, mas estes tempos acabaram com a chegada do LG G2. O G3 confirmou e o LG G4 também continua acima da sombra, mas e o LG G Flex? Bem, o primeiro modelo foi interessante, a curva declarada do smartphone foi uma boa atracção no ponto do design, mas apenas isso. Este LG G Flex 2 trás a mesma curva, mas com um equipamento que se pode chamar de topo, sendo uma excelente alternativa aos topo de gama.

O LG G Flex 2 é de todos os smartphones curvos o que apresenta mais lógica nas argumentações. A curvatura do corpo é realmente útil, ao contrário de outros curvos. É também um pouco flexível, mas não muito. Saiba tudo sobre as funcionalidades, especificações e características do novo LG G Flex 2, que está a ser vendido em Portugal por um preço de 440€ e no Brasil por 2499.90R$.

Para que serve a curva do LG G Flex 2?

Bem, começando de forma provocatória, a única funcionalidade da curva do Galaxy S6 Edge é a identificação de chamadas através do reflexo do ecrã numa superfície. O LG G Flex também consegue fazer isso, embora a LG não possua um software que identifique a pessoa que faz a chamada pela cor. Fica a dica LG. A curvatura do Flex 2 é mais confortável quando leva o smartphone ao ouvido numa chamada, é também mais confortável quando o coloca no bolso lateral das calças.

A curva do LG permite também que com alguma habilidade consiga pousar o LG G Flex 2 na horizontal para ver vídeos, sem qualquer tipo de suporte. A ergonomia do corpo do LG G Flex 2 é também útil para jogos no modo horizontal, onde existem botões em ambos os lados do ecrã. A curva do ecrã acaba por se adaptar melhor neste tipo de jogos, dando uma sensação ligeira de conforto. Infelizmente, a visualização de vídeos não ganha nada com a curvatura deste ecrã, como ganha nas TVs curvas. Isto acontece pois para o efeito de emersão no conteúdo que ocorre nas TVs curvas, o ecrã precisa de possuir um determinado tamanho, e o utilizador precisa de estar dentro de uma distancia especifica. O que não acontece com o smartphone.

Qualidade do ecrã do G Flex 2 melhorou bastante face ao primeiro modelo.

Na nossa opinião, esta é a grande evolução face ao primeiro modelo. O ecrã P-OLED do G Flex 2 não distorce quando ligado. Possui uma excelente qualidade de cor e definição de imagem. O ecrã do tipo OLED garante uma qualidade de cor preta muito boa, onde os pretos são bastante profundos. As cores ligeiramente mais saturadas do OLED assentaram bem neste tipo de ecrã.

LG G Flex 2

Botões personalizados do LG G Flex 2

A resolução Full HD é outra melhoria face ao primeiro modelo que apenas apresentava uma resolução HD. Sim, estamos na era dos smartphones Quad HD (2k), mas ao nível do detalhe e definição de imagem, um smartphone de 5.5 polegadas sobrevive muito bem com “apenas” Full HD. A definição de imagem é muito boa, e mesmo para uma fasquia de smartphone de topo, o ecrã do LG G Flex 2 comportou-se muito bem.

Desempenho de topo, a preço de gama média alta.

O LG G Flex 2 está equipado com o chipset topo de gama da Qualcomm para 2015. Apesar de topo, é um chipset polémico de tal forma, que o LG G4 optou por não o usar. Então? O que tem assim de tão mal a plataforma do LG G Flex 2? Bem, o Qualcomm Snapdragon 810 é conhecido por aquecer em demasia. Notamos isso no G Flex 2 e no HTC One M9, mas é assim tanto? Não. Ambos os smartphones que testamos com esta plataforma aqueceram quando eram chamados ao trabalho duro, mas foi um aquecimento que já vimos em outros modelos que não usam esta plataforma.

Este Qualcomm Snapdragon 810 é composto por dois tipos de processadores, ambos QuadCore. Um com núcleos Cortex A57 de alto desempenho, utilizados para processamentos mais exigentes e desligados para tarefas mais básicas. O outro QuadCore é composto por núcleos Cortex A53, um tipo de processador menos capaz, que fica sempre ligado, praticamente.

E no desempenho, o Qualcomm Snapdragon 810 não falha. Todas as aplicações que testamos tiveram um desempenho 100% fluído, correndo com definições gráficas no máximo, sem qualquer tipo de problema. O modelo que testamos possuía 16GB de espaço para armazenamento e por tanto, 2GB de memória RAM que se mostraram mais do que suficientes para lidar com multi-tarefas pesadas do Android, sem comprometer. O modelo com 32GB de espaço possui 3GB de memória RAM, apesar dos 2GB serem actualmente mais do que suficientes para garantir uma excelente fluidez, é recomendável que opte pela versão de 3GB de RAM, um número que será à prova de futuro, nos próximos 2/3 anos.

Cartão SIM e MicroSD do LG G Flex 2

Suporte a cartões MicroSD e usa microSIM

Ao nível do espaço, pode colocar um cartão microSD no LG G Flex 2, mas já não pode remover a bateria. A capa traseira é removível. Quanto à autonomia, não foi impressionante, mas não desiludiu. Consegue aguentar para 1 dia de utilização relativamente pesado. Se abusar em vídeos, ou, jogos, o Flex 2 vai necessitar de ser carregado a meio do dia, naturalmente. Tentar arriscar 2 dias de utilização é realmente um risco, mesmo com utilizações leves.

Ao nível da conectividade a LG raramente falha, conta com Wi-Fi, DLNA, Wi-Fi Direct, Bluetooth, infravermelhos, rádio FM e NFC. Trata-se obviamente de uma smartphone com mobilidade 4G LTE.

Excelente câmara fotográfica.

O Flex 2 possui uma câmara traseira de 13MP. Consegue capturar imagens com boa qualidade e muito bom detalhe. O software da câmara é fácil de ser utilizado, mas não tão aprimorado como o que encontramos no G4. A focagem em objectos é muito fácil e a criação de Depth in the field é facilmente atingida através do foco automático. Esta câmara grava ainda vídeos em 4k a 30 fps e vídeos em Full HD a 60fps.

Foto G Flex 2

Foto capturada pelo G Flex 2

Na frente encontras uma câmara de 2.1MP, mas não te enganes pelo número. A câmara possui boa qualidade e está ligeiramente acima da média quando comparada com outras câmaras com resoluções maiores. Como estamos a falar de um smartphone LG, a câmara possui a activação de foto através da palma da mão, muito útil para selfies.

Qualidade de som e de construção.

A saída de som do LG G Flex 2 está localizada na parte de trás. Não possui uma qualidade de som que se destaque dos outros smartphones da mesma faixa de preço. Possui uma qualidade média, quer na qualidade, quer no volume máximo que consegue atingir. A localização na parte de trás faz com que seja uma saída de som vulnerável a ser tapada com a mão quando o seguramos.

Já no que diz respeito à qualidade de construção, todo o G Flex 2 é construído em plástico. Não é propriamente o tipo de material mais sofisticado ao nível do conforto do toque, não, longe disso. O desenho do smartphone vale pela curva, pois a construção e materiais são bastante banais. Como já foi aqui dito, a capa traseira é removível, mas a bateria não. Possui o slot para cartões microSD na parte de trás do smartphone, por debaixo da capa, tal como o slot para cartão SIM.

LG G Flex 2

Curva do LG G Flex 2

Interface boa, já com Android 5.1.1!

Quando iniciamos a análise o Flex 2 possuía a versão do 5.0.1 do Android, acabamos a review na versão 5.1.1 do Android Lollipop, o que é bom sinal. Não foi a actualização mais rápida, mas foi das mais rápidas. A interface foi sempre fluída e gostamos da personalização da LG que possui uma interface elegante e rápida.

Esta interface possui já algumas funcionalidade extra que admiramos. Os LG Knock Code recebem sempre o destaque, permitindo efectuar tarefas especificas apenas com códigos de toques no ecrã. Agora consegue acordar uma parte do ecrã sem ter que desbloquear o smartphone. Com um deslize para baixo na tela consegue visualizar as horas e data, numa porção do ecrã. Isto é bom para poupar bateria, não sendo necessário ligar a totalidade do ecrã para esta tarefa básica, ver as horas.

LG G Flex 2

LG G Flex 2 com Android 5.1.1

Dentro da interface do Android existem também muitos pormenores que a interface da LG permite editar. Os botões de controlo são um exemplo. A interface permite também a divisão do ecrã entre duas aplicações, entre outras funcionalidades.

Pontos fortes e fracos do LG G Flex 2?

É difícil encontrar um ponto fraco neste Flex 2, pois é um smartphone que na nossa opinião foi muito bem pensado. Os pontos fracos deste smartphone acabam por ser os pontos onde o Flex 2 se encontra mediano, que é na qualidade de construção e no som. Estes dois pormenores não são fracos, são apenas banais, num smartphone que é algo único.

Os pontos fortes são fáceis de enumerar, é um smartphone com excelente desempenho, componentes topo de gama, a um preço reduzido. A curva do Flex 2 é realmente útil, o ecrã possui um contraste e saturação que lhe assentam muito bem. A câmara possui boa qualidade e o Flex 2 já se encontra actualizado para a versão do Android 5.1.1 Lollipop, o que é sempre muito bom.

Encontras o LG G Flex à venda por um preço de 440€ na Amazon.

Categoria:Reviews
Tags:

2 comentários a “Review ao LG G Flex 2, uma evolução que merece destaque!”

  1. Nelson Rodrigues diz:

    Boa noite, Gostaria de uma opinião vossa. O LG G flex 2 ainda hoje é um telemóvel que compense comprar? tendo em conta preços a rondar os 250€.

    Pois quero comprar um telemóvel novo e estou indeciso qual comprar.

    Obrigado desde já.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *